Páginas

sábado, 11 de dezembro de 2010

suavidade...




A suavidade do contraste
Que há entre o que sentimos
Aquilo que falamos
E aquilo que escrevemos...





"São suaves as tuas palavras
são macias como a Primavera
na entrada da tua porta

É a pedra da calçada
despida na tranquilidade
da singeleza, da sinceridade

É a Lua apagada
no desfiladeiro do amor
na rua adormecida

São pesadelos irrequietos
que erguem o teu ser
por serras floridas. "

3 comentários:

  1. Suavidade é tudo no trato o dia a dia. mas no amor a intensidade é tudo.Beijos. Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Um poema orquestrado pela essência primaveril, sobre o imaginas e busca dar o sentido devido ao que te define.
    Gostei muito.

    beijo no coração.

    bla

    ResponderExcluir

Minhas letras são sementes que precisam do teu olhar, da tua presença, para germinarem e gerarem algum tipo de alimento para a alma.
Obrigada pela presença.